Para exportação de carros elétricos, fabricantes chinesas irão adquirir 21 novas embarcações

Nos próximos dois anos, pelo menos duas montadoras chinesas irão adquirir 21 novas embarcações para atender à demanda crescente de suas marcas de carro. Assim, a China consolidou sua posição como um importante exportador de carros elétricos. A BYD planeja incorporar sete novos navios movidos a GLP para enviar seus carros, especialmente para a Europa e América do Sul.

Enquanto isso, a SAIC, visando principalmente a Europa, planeja ter 14 navios ro-ro em operação nos próximos três anos. Em 2023, a China superou o Japão na exportação de carros. No entanto, até novembro do ano passado, a China contava com apenas 40 navios ro-ro, transportando 110.000 veículos.

Em comparação, o Japão tinha capacidade para transportar 1,6 milhão de carros e a Noruega, 930 mil. Para atender à crescente demanda, as montadoras chinesas estão investindo em navios de baixa emissão de CO₂, considerando os cálculos de tributação na Europa que levam em conta as emissões desde a produção até o uso do veículo.

Isso impulsiona a atividade nos estaleiros chineses, que já são bastante ativos. Isso abrange desde o consumo de energia para operar as linhas de montagem nas fábricas até o transporte dos carros para as concessionárias.

Conscientes de que os navios emitem uma quantidade significativa de poluentes na atmosfera, as montadoras optaram pelo GLP como uma solução. O Explorer Nº1, da BYD, é o primeiro navio ro-ro desse tipo, utilizando gás natural para reduzir a pegada de carbono no processo de produção, distribuição e comercialização de seus carros.

Foto: reprodução

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *