Região do Baixo Amazonas alcança 44% em redução da criminalidade

Foto: Marco Santos / Ag. Pará

A Região de Integração de Segurança Pública do Baixo Amazonas (12ª RISP), uma das principais regiões do Estado e que corresponde a 13 municípios, alcançou no acumulado deste ano, de 1º de janeiro a 19 de maio, cerca de 44,4% em redução de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) – que reúnem homicídio, latrocínio e lesão corporal seguida de morte-, em comparação entre os anos de 2024 e 2020.Foto: Marco Santos / Ag. Pará

Os dados foram apresentados pela Secretaria Adjunta de Inteligência e Análise Criminal (Siac), vinculada à Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Segup). Em 2024, a região registrou 30 casos de CVLI e em 2020 foram 54 ocorrências. Em relação ao período acumulado do ano passado, a redução é de 29%.  

Os dados apontam que as boas práticas adotadas pela gestão estadual têm surtido efeito, destaca o secretário de Segurança Pública em exercício, Luciano de Oliveira. “As reduções dos índices de criminalidade são bem expressivas no Baixo Amazonas. Notamos que, felizmente, isso tem sido uma tendência. Vemos essa redução devido a políticas e estratégias macro de segurança em todo o Estado. De maneira específica, na região de Santarém, que é o polo da região do Baixo Amazonas, podemos destacar grandes investimentos, principalmente na questão do policiamento fluvial. Saímos de 53 para 83 embarcações, sendo essa região contemplada com várias embarcações, que é uma ferramenta indispensável para que os órgãos de segurança pública tenham mobilidade nas localidades, além também do incremento de efetivo, equipamentos e tecnologia. Tudo isso tem refletido no êxito das reduções. Esperamos que sigam assim”, reforçou o secretário.

Além de CVLI, a Região do Baixo Amazonas reduziu em 42% o número de homicídios em 2024 em comparação com 2020, além de 28,2% no comparativo com 2023. A região registrou 28, 39 e 48 casos em 2024, 2023 e 2020, respectivamente.

Para reforçar a segurança nos 13 municípios, por meio da Segup, o Estado já entregou coletes balísticos, motocicletas, totem de segurança, uma base fixa do Grupamento Aéreo (Graesp), além de lancha, um posto avançado para os bombeiros e o Núcleo Integrado de Operações.

A região conta ainda com a ação efetiva dos órgãos de segurança do Estado para garantir a ordem e a proteção da população paraense. Pela Polícia Militar, são 1.380 policiais trabalhando diariamente com previsão de aumento de efetivo, uma vez que há concurso público em andamento para a contratação de novos militares.

Outros números

Além de Crimes Violentos, a 12ª Risp obteve reduções em furtos e roubos, dois importantes índices acompanhados pela Segurança Pública Estadual. Em roubos, no período acumulado do ano, foram 510 contra 666 em 2023, registrando uma redução de 23,4%. Em comparação com 2020, que aferiu 902 casos de roubo no período acumulado de 1º de janeiro a 19 de maio, a redução este ano atingiu 43,6%. 

Em furtos, a região do Baixo Amazonas computou 2.478 registros, sendo 201 a menos que 2023, que contabilizou 2.679 no mesmo período acumulado, sendo uma redução de 7,5%. Já em relação a 2020, que obteve 2.897 casos de furto, a redução chega a 14,4%.

Reforço fluvial

Para ampliar a fiscalização na malha fluvial da região, banhada por diversos rios, entre eles o Trombetas, o Amazonas e o Xingu, o Governo do Estado prevê para os próximos meses a entrega da nova Base Fluvial Integrada da Segurança Pública, a ser instalada no município de Óbidos.

As expectativas para a operacionalização da base “Candiru” são grandes, tendo em vista os resultados obtidos pela primeira base integrada fluvial Antônio Lemos, no rio Tajapuru. “Tem se revelado uma estratégia acertada, com a atuação de todos os órgãos, fiscalizando as embarcações que por ali passam, e tendo resultado em seguidas apreensões de drogas que vêm sendo transportadas naquela região ali do Marajó. E considerando que o estreito de Óbidos é a parte mais estreita do Rio Amazonas, que antecede a chegada a Santarém, após a saída de Manaus, se espera que consigamos ter também grandes resultados com a entrada em operação dessa ferramenta, que é a base Candiru”, salientou Luciano.

Além de todos os órgãos do sistema de segurança pública, a base receberá a Polícia Federal, a Secretaria de Fazenda do Estado, além do Ibama. “Isso gera a expectativa de que os resultados para a segurança pública, para a fiscalização ambiental, para a fiscalização tributária, enfim, para a presença do Estado como um todo, venha a ser de grande importância com a entrada e funcionamento desse equipamento”, destaca o secretário.

A segunda base fluvial do Governo do Estado tem sua obra executada  pela Segup, contando com um investimento superior a 8,2 milhões de reais. Com posição estratégica, a base tem como objetivo combater a criminalidade em uma das principais rotas de tráfico de drogas no território paraense.

Por Agência Pará

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *