No Pará, prejuízos por desastres climáticos somaram R$ 900 mi em 2023

Dados do Atlas Digital de Desastres no Brasil, plataforma que utiliza informações do Ministério de Integração e Desenvolvimento Regional (MIDR), apontaram que, entre enchentes, queimadas e secas severas, os prejuízos em infraestrutura e serviços devido a desastres naturais nos municípios do Pará totalizam um prejuízo de cerca de R$ 900 milhões só no ano de 2023.

Desse total, os números estão divididos em três modalidades: danos materiais, prejuízos públicos e privados. Assim como demonstra o Atlas Digital, no Pará, o município de Itaituba, sudoeste paraense, teve no acumulado de 2023, 14.216 pessoas desabrigadas e desalojadas.

A mesma cidade também apresentou um número de quase 62 mil pessoas afetadas pelos mesmos eventos. Na soma de afetados, desabrigados e desalojados para o mesmo período analisado, outros destaques são os municípios de Cametá (58.250), Baião (47.686) e Marabá (22.852).

Em um levantamento dos últimos dez anos (2013 a 2023), realizado pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM), o estado do Pará reportou 1.252 desastres.

O estudo também destaca que a maioria dos decretos emitidos pelos municípios, em todo o Brasil, são principalmente devido a situações de seca (41%) e chuvas intensas (27%). Segundo a CNM, as cidades de Oriximiná e Parauapebas, estão entre as que apresentaram desastres recorrentes, com 135 e 109 decretos de anormalidade respectivamente.

Foto: Augusto Miranda / Ag. Pará

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *