Nova Doca: espaço garante mais lazer e geração de renda no Pará

Foto: Wellyngton Coelho / Ag.Pará

Belém, a cidade que será o centro dos principais debates do clima no mundo, se prepara para receber a 30ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP 30), em novembro de 2025, e mais que isso, possui obras estruturantes que deixarão a capital paraense mais convidativa para o turismo com mais espaços de lazer, promoção da saúde e incentivo a geração de renda. Entre as obras que já estão em execução pelo Governo do Pará, destaca-se os quatro novos viadutos, sendo eles na BR 316 com a Alça Viária, BR 316 com a avenida Independência, ambos no município de Marituba; na Avenida Mário Covas com as avenidas Três Corações e com a avenida Independência, os dois no município de Ananindeua; a nova ponte de Outeiro, o Parque Linear da Tamandaré e a Nova Doca, todos esses últimos em Belém.  

O professor de educação física, Igor Aquino, mora na área que divide os municípios de Ananindeua e Belém, e ministra aulas em prédios localizados no bairro do Reduto. Pai do Caio, de apenas dois anos, sempre concilia a ida ao pediatra, no centro da Capital, com passeios no Parque Urbano Belém Porto Futuro. Com o anúncio da Nova Doca, o educador físico comemora a construção de mais um espaço de lazer para a família. 

“O povo paraense agradece e fica muito feliz com esses grandes eventos que irão ser sediados na nossa Capital.  Então (a nova Doca), além de ser um atrativo para a  COP 30, vai ficar para a população e nós agradecemos muito ao nosso governador.  É um motivo a mais para que a gente possa passear com nosso filho. Vai ser mais um ponto turístico, um ponto positivo para aquelas pessoas que vêm visitar Belém, vem conhecer a maravilhosa culinária e que agora irão poder conhecer os novos pontos turísticos, além de que com certeza aumentando o turismo, aumenta também o emprego, aumenta a renda da população.Nós estávamos muito carentes de novos locais como esse, então nós ficamos muito felizes com o projeto da Nova Doca”, ressaltou o professor.

O projeto da Nova Doca entusiasmou também o atleta e gestor de uma assessoria esportiva, Manoel Oliveira. Três vezes por semana a Doca é o seu lugar de trabalho. A partir das 4h30 da manhã ele e o seu grupo percorrem a Avenida Doca de Souza Franco em busca de preparo físico e bem-estar. “É uma excelente obra para todos que gostam de praticar o esporte, principalmente a corrida de rua. No meu ponto de vista vai ser excelente. Excelente mesmo. Se já é bom agora, depois, quando ela estiver novinha, vai ser melhor. O espaço vai melhorar em termos de trânsito, na segurança, uma outra Doca nova, um espaço melhor para a comunidade e para outras pessoas que irão  conhecer a cidade”, afirmou o atleta. 

Nova Doca  – O novo espaço propõe o resgate da memória da água com suas vivências e ecossistemas de referência originais, criando um parque linear contínuo, com a utilização do entorno com novos espaços públicos de lazer, esporte e contemplação para a população. Ao mesmo tempo, proporcionará aos frequentadores a interação com a contemplação do curso d´água existente, com novo tratamento ambiental e paisagístico. Ao longo da Nova Doca, serão implantados mirantes, quiosques de alimentação, parque infantil, academia ao ar livre e espaços de contemplação integrados à paisagem do canal, que será completamente reconstruído.

A obra da nova Doca será feita de forma simultânea, em várias frentes. Nesta segunda-feira, 13, teve início o trabalho do primeiro módulo que corresponde à etapa de sondagem para análise do solo e seguir com o estaqueamento, assegurando um novo tabuleiro que vai ser a área de convivência da obra. 

Sustentabilidade – Em 1,2 quilômetro de canal, a obra, que é resultado de um convênio firmado pela Itaipu Binacional com o Governo do Pará, proporcionará uma grande transformação urbana e de infraestrutura, como explicou o secretário de transportes, Adler Silveira. 

“Vamos fazer rede de drenagem de coleta de esgoto para que a gente possa adequar o canal para receber esse espaço de convivência. Faremos também novas drenagens de águas pluviais, águas da chuva, para que a gente garanta a eliminação dos alagamentos que hoje ocorrem aqui na avenida. E a partir daí com iluminação sustentável, solar, iluminação 100% com LED, e com todos esses novos equipamentos que vão fazer dessa região aqui de Belém um espaço adequado para a convivência, mas também uma melhora de infraestrutura que possa garantir para os moradores uma melhor qualidade de vida, bem como para receber os nossos visitantes da COP 30, que terão um belo equipamento para desfrutar”, afirmou o secretário. 

Novos viadutos – O projeto da Nova Doca integra um conjunto de obras que é feito pelo governo do Pará. Na última sexta-feira, 10, foi assinada a Ordem de Serviço para o início das construções dos viadutos das avenidas Independência e Três Corações, ambos nos cruzamentos com a avenida Mário Covas, em Ananindeua. 

No cruzamento da avenida Mário Covas com a Independência, Lindinaura Vaz aguardou por um bom período para atravessar. Segundo ela, a travessia fica comprometida pelos vários semáforos existentes e a demora que cada um possui. “Eu passei quase 10 minutos para atravessar. Pra gente passar de manhã pra trabalhar é muito difícil, principalmente pra quem tem que levar criança na escola. A gente espera que o viaduto melhore também para nós que somos pedestres”, afirmou a autônoma. 

O elevado terá 39 metros de comprimento e será construído na avenida Mário Covas,
sobre a avenida Independência, por onde os condutores terão trânsito livre. Será um importante corredor alternativo de tráfego para acesso ao centro de Belém. 

Fazendo a ligação entre a avenida Três Corações e a avenida Mário Covas, o viaduto com 44 metros de extensão, terá uma “alça”, tornando possível a livre conversão à esquerda para a saída da Três Corações, em direção ao centro de Belém, ingressando na avenida Mário Covas.  Sob a alça do viaduto existirá uma rotatória que facilitará as demais conversões, dando maior fluidez a um ponto crítico de circulação de Ananindeua.

Rosivaldo Fonseca Almeida trabalha fazendo fretes em seu veículo e costuma passar diariamente pelo cruzamento das avenidas Mário Covas com a Três Corações. Ele viu na televisão que o local em breve terá um viaduto e comemora a iniciativa. “Passar por aqui é complicado, quanto mais cedo, pior. Demora muito mesmo esses semáforos e quando abre é muito rápido. O viaduto vai trazer melhorias pra todo mundo”, finalizou.

Por Agência Pará

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *