Restaurante Popular de Belém é reaberto após reforma geral com espaço totalmente renovado

Foto: Joyce Ferreira/Agência Belém/Comus

A Prefeitura de Belém reabriu as portas do Restaurante Popular de Belém Desembargador Paulo Frota nesta quarta-feira, 17, ampliando a oferta de refeições para 1.300 unidades ao dia ou 343.300 por ano. O espaço passou por obras amplas de manutenção e adaptação, além de ganhar novos mobiliário, equipamentos e decoração com plantas, horta vertical e fotografias alusivas à gastronomia regional. O Restaurante voltou a funcionar normalmente, de segunda à sexta-feira, das 11 às 14h. Cada refeição é vendida pelo valor simbólico de R$ 2,00.

Reforma geral

O restaurante recebeu serviços de recuperação dos forros, pintura, adequação dos portões para Pessoas com Deficiência (PCD), manutenção do telhado, forro, piso, rede elétrica e hidráulica, refeitório e cozinha, além de novas iluminação, pintura e layout da fachada, sistema modernizado contra incêndio e o funcionamento completo das câmaras frigoríficas. O valor investido foi de R$ 2.465.497,12. As obras foram coordenadas pela Secretaria Municipal de Urbanismo (Seurb). Entre os equipamentos adquiridos estão cadeiras e mesas novos, caldeira de 200 litros, balcão térmico, novas centrais de ar condicionado para a cozinha e as salas de cortes de legumes, verduras e carnes, novos ventiladores, exaustores e câmeras de monitoramento.

Alegria – Mãe e filha, Maria das Graças de Souza, de 74 anos, e Marta Souza, de 51 anos, moram no bairro do Guamá e foram conhecer o Restaurante Popular. “Eu queria levar (mais) comida (para casa), mas não trouxe vasilha. Na próxima vou trazer. Uma delícia. Eu não conhecia aqui. Passava, mas nunca tinha entrado. É barato, 2 reais. Tem tanta gente que tá precisando, tem vez que não tem (dinheiro), (tem) muito cristão com fome”, observou Maria. “O espaço é grande e bonito. Gostei da refeição”, acrescentou Marta.

“O público atendido pelo Restaurante Popular é de pessoas em situação de rua e trabalhadores do centro comercial, assim como idosos e pessoas com deficiência que se deslocam de vários bairros de Belém”, conta a coordenadora-geral do Banco do Povo, Georgina Galvão. “O nosso investimento na melhoria da qualidade de atendimento não vem de agora. Em 2022, substituímos a empresa que prepara os alimentos atendendo ao anseio dos frequentadores, que aprovaram a mudança”, acrescenta.

Segurança Alimentar

Essa foi a maior intervenção realizada no prédio do Restaurante Popular desde a fundação, há 16 anos. O espaço integra uma política de segurança alimentar e combate à fome, que fornece refeições balanceadas, produzidas com o acompanhamento de nutricionistas. As refeições têm valor subsidiado pela Prefeitura em R$ 9,30 por refeição, ou seja, o custo real de cada refeição é de R$ 11,30, mas o frequentador paga somente R$ 2,00 por unidade. Esse valor cobrado do público se mantém o mesmo desde que o restaurante entrou em operação.

O cardápio para o dia de reabertura foi especial: sobrecoxa assada de forno com molho reduzido de tucupi, jambu, arroz branco, batata gratinada com queijo e cheiro verde, feijão com abóbora e caruru, farofa de soja e sobremesa de banoffee. 

De cara nova

Quem frequenta sempre o Restaurante Popular viu um espaço totalmente de cara nova. A fachada colorida, com pinturas alusivas às paisagens arquitetônicas e ribeirinhas de Belém, chama a atenção na estreita Rua Aristides Lobo, no bairro da Campina. No interior, o acolhimento foi marcado por uma faixa de “boas-vindas”, ornamentação com balões e som ambiente. 

O novo sistema de venda de refeições possibilitou trazer a fila dos frequentadores para dentro do salão, garantindo maior comodidade e conforto. A parede próxima à fila ganhou uma exposição permanente do fotógrafo Marcelo Seabra, com imagens do Ver-o-Peso que exibem pimentas de cheiro, frutas regionais e vendedores de farinha e de peixe manuseando os seus produtos na feira e no mercado. Enquanto isso, a paisagista Aline Sardinha assina a horta vertical de ervas e flores montada no saguão, próximo à entrada, assim como os vasos de Lírio da Paz, Palmeira Rafis e Zamioculca.

Agradável – As amigas Maria Izabel Monteiro, de 66 anos, e Marliana Lopes, de 48 anos, do bairro da Terra Firme, foram passear no Restaurante Popular. “Eu gostei de vir aqui. Vi até uma dança de carimbó ali (risos). Gostei da refeição e separei um pouco para levar pra casa. Amei a sobremesa, uma delícia! Tá tudo novo!”, contou Izabel. Foi a segunda vez que ela visitou o espaço. “Eu tirei a minha amiga de dentro de casa para vir comigo”, revelou.  “Ela sempre me tira de dentro de casa, me dá autoestima. Não conhecia aqui. Amei a comida, o ambiente é confortável. A gente vai vir mais vezes”, acrescentou Marliana.

Por Agência Belém

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *